Logo.jpg
PECUÁRIA

Peritiba conta com 30 propriedades livres de brucelose e de tuberculose

AsCom Peritiba/ Redação
Foto: AsCom Peritiba

A bovinocultura de leite é uma das principais bases da economia do setor primário no município de Peritiba. O município possui, aproximadamente 180 propriedades produtoras de leite, caracterizadas pela produção em pequena e média escala. Neste contexto, o empenho dos produtores para certificar suas propriedades como livres de brucelose e tuberculose se intensificou nos dois últimos anos. Atualmente Peritiba tem 30 propriedades certificadas e outras duas em processo de certificação, ocupando o 8ºlugar no Estado nesta condição.

Constantemente, os produtores de leite do município buscam um diferencial competitivo para melhorar o ganho econômico da atividade, realizando investimentos na seleção genética dos animais, focada em aumento da produção, melhoria das instalações, manejo e nutrição. Também há o esforço para melhorar o status sanitário dos rebanhos e obter a excelência na qualidade sanitária dos produtos.

A certificacão de estabelecimento de criacão livre de brucelose e tuberculose é de adesão voluntária e destinada ao gado de leite. A certificação compreende ações do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal (PNCEBT), criado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em 2001, sendo que no Estado de Santa Catarina, a CIDASC é responsável pela execução do programa.

Ao certificar a propriedade, o produtor participa do controle e erradicação da brucelose e tuberculose, obtendo benefícios sanitários e econômicos para si e para o Estado. A certificação contribui para a valorização do rebanho bovino, redução dos prejuízos econômicos causados pela ocorrência destas doenças no plantel e facilitação no trânsito de animais. Além disso, brucelose e tuberculose são zoonoses e podem ser transmitidas para os seres humanos.

Para iniciar o processo de certificação, o produtor deve procurar um médico veterinário habilitado para a realização dos exames de Brucelose e Tuberculose. Ele encaminhará à CIDASC a manifestação de interesse do produtor em certificar sua propriedade e caberá ao médico veterinário da companhia monitorar e acompanhar as etapas e condições necessárias à certificação.

A médica veterinária Marisa Macagnan, da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (CIDASC), explica que a certificação é renovada a cada ano, mediante a realização de testes nos animais. A Cidasc monitora também as propriedades leiteiras que não optarem pela certificação, cujo rebanho deve ser testado, porém num intervalo de tempo um pouco maior, de até 36 meses, de acordo com a legislação vigente.




Rua Paraná, 16 - Balneário - Piratuba - Santa Catarina

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados | Empresa Jornal Comunidade Ltda ME