Logo.jpg
PROFISSÕES

'Alfaiate' - Você conhece, já ouviu falar, ou viu um em atividade?

Em Piratuba ainda existe um profissional da área. Conheça Rui Emílio Hilgert

Claudio Rogge

Rui Emílio Hilgert é natural da Vila Rio do Peixe, nome de Piratuba antes da emancipação, filho de Elmo Hilgert e Ariena Müller Hilgert, nascido em 16 de abril de 1947. Foi aluno do Grupo Escolar "Carlos Chagas", onde estudou a partir de 1954, sendo da primeira turma de alunos que frequentou a escola após sua inauguração na margem direita do Rio do Peixe, após a conclusão da ponte, onde teve por professoras Valli Poletto, Helena Maria Stein, Valmi Tessmann, Juracy de Mello Schmidt, Carlos Winter e como diretor Darcy Azevedo Duarte.

Concluído o Curso Primário, aos 13 anos de idade passou a ajudar seu pai, que era alfaiate, cujo atelier estava localizado no antigo prédio do cinema, construção em madeira, parte demolida e parte destruída por incêndio, no Centro de Piratuba, mais especialmente onde hoje está a Loja Havana Rei. Rui é neto de João Leopoldo Hilgert, pessoa muito conhecida na Vila por ter ocupado durante muitos anos o cargo de delegado de Polícia. A alfaiataria, nos anos 40, era representante da famosa loja RENNER, com sede em Porto Alegre/RS, quando Elmo tirava as medidas para ternos e as encaminhava para a matriz, que devolvia a encomenda entre 20 e 30 dias.

Passados alguns anos, deixou de representar a RENNER e passou a adquirir de atacadistas de São Paulo as peças dos tecidos comuns na época: Cazemira, Tropical, Linho, Gabardine. Não havia ainda o Tergal. Confeccionavam-se ternos, inclusive com colete se assim era solicitado e calças.

Na alfaiataria, que era um ponto de encontro dos piratubenses, onde se repercutiam as notícias, as novidades, as piadas, e porque não dizer também as fofocas da cidade, sendo portanto um lugar divertido e cheio de alegria, além do fato de ter sempre chimarrão, que rodava entre os companheiros de trabalho. Numa das paredes estava afixado um quadro pintado por Bruno Müller, retratando um alfaiate, costurando um casaco com agulha de linha e um ferro de passar roupa sobe a mesa de trabalho.

Além de Elmo e seu filho Rui, trabalharam também Edgar Hilgert (irmão de Elmo), Antonio Farias, Edmundo Knapp, Valter Traumann. Mas é oportuno lembrar, que antes de Elmo Hilgert, trabalhava como alfaiate na Vila Rio do Peixe Edgar Bussmann.

Elmo, ao se aposentar em 1990, encerrou as atividades da alfaiataria. Foi quando Rui e sua família transferiram residência para Salto do Lontra/PR, onde já estava seu irmão Remi. Lá permaneceram por cinco anos, e cheios de saudades, retornaram para Piratuba, indo residir na Rua Leoberto Leal, 357, próximo da Igreja Evangélica Luterana, sendo vizinho de seu irmão Rogério/Paté, que é o barbeiro mais tradicional de nossa cidade.

Rui passou a costurar calças em sua residência e há pouco tempo deixou de trabalhar nesta profissão porque os viajantes de tecidos não vêm mais à Piratuba, já que a demanda era muito pequena. É aposentado pelo INSS desde 2003. Hoje passa seu tempo cuidando do quintal de sua casa, tratando passarinhos, lendo jornais que lhe são emprestados e acompanhando as notícias pela TV. Costuma dar um giro pela cidade, tanto na parte da manhã como na parte da tarde, quando encontra seus amigos e se inteira das novidades.

Outras curiosidades que conseguimos anotar: Rui não serviu o Exército, como era comum para todos os rapazes ao atingir 18 anos de idade, pois foi considerado extremamente magro e lhe foi solicitado que retornasse no ano seguinte, porém a partir de 1966 o município passou a estar isento do Serviço Militar. Rui participou por algum tempo de grupos de tratamento contra alcoolismo, indo inicialmente para Concórdia, onde funcionava o ARAL e logo em seguida, com a constituição da Associação de Alcoólatras Anônimos/AAA em Piratuba, passando por desintoxicação e com orgulho relata que há 35 anos não mais fez uso de qualquer tipo de bebida alcoólica. Isso demonstra sua força de vontade e servindo de exemplo para tantos outros que não conseguem abandonar qualquer outro tipo de vício. Neste aspecto, pode considerar-se um vencedor.

Faz parte do seu histórico pessoal, o fato de ter estado em tratamento médico que lhe era prestado no Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, quando foi diagnosticado como sendo portador de câncer de próstata. Depois de muitas viagens, enfrentadas com dificuldades pelo uso de transporte de ônibus e/ou ambulâncias, após cirurgia e sessões de quimioterapia, ficou curado, porque procurou por auxílio médico tão logo a doença se manifestou, o que pode ser considerado como uma segunda grande batalha que enfrentou com sucesso em sua vida.

Rui é uma pessoa tranquila, de bem com a vida, cheio de amigos e preservando o amor pela sua família. É casado com Eloyce, funcionária pública municipal aposentada, com quem possui duas filhas: Franciele, casada com Hércules Daneleski, proprietário da Pastelaria Ponto 78, localizada no Centro Histórico de Piratuba e Josiane. Da família fazem parte ainda duas netas Rafaela e Gabriela Daneleski.


Imagens

Rua Paraná, 16 - Balneário - Piratuba - Santa Catarina

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados | Empresa Jornal Comunidade Ltda ME