Logo.jpg
DESENVOLVIMENTO

Artesãos de Maximiliano de Almeida recebem orientação sobre a atividade

Geferson Schreiner
Foto: AsCom Maximiliano de Almeida

Na sexta-feira, dia 3, representantes da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social - FGTAS - estiveram em Maximiliano de Almeida para conversar com um grupo de artesãos da comunidade. O encontro aconteceu na Casa de Cultura Avelino Benin e teve a coordenação da Secretaria de Municipal de Indústria, Comércio e Turismo.

Essa primeira reunião teve por objetivo o esclarecimento sobre alguns assuntos, entre eles, a regularização da atividade e o acesso ao programa RS TER. "Para participar de algumas atividades, é necessário que o artesão tenha uma carteira de identificação e esteja registrado para a atividade. As feiras regionais são um exemplo", detalhou o coordenador agência FGTAS Lagoa Vermelha, Zilmar Baldoino Zotti. "A carteira de artesão tem validade de dois anos e uma taxa de R$ 23,00. As pessoas acima de 60 anos não precisam pagar a taxa", continuou. Zotti ainda lembrou que o Estado possui programas sociais para os artesãos. "Um deles se chama RS TER, cujo objetivo é auxiliar com crédito e a gestão dos negócios locais", finalizou.

O município ainda não tem uma associação de artesãos legalmente constituída. "Essa nossa conversa inicial serviu para tirar dúvidas e pensar como a administração municipal pode apoiar os artesãos da comunidade. Nos organizarmos é o primeiro passo. Criar a associação dos artesãos é uma de nossas metas. E também, auxiliar da realização de feiras que valorizem a produção local", pontuou a secretaria de municipal de Indústria, Comércio e Turismo, Cassiana Borges Variani.




Rua Paraná, 16 - Balneário - Piratuba - Santa Catarina

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados | Empresa Jornal Comunidade Ltda ME