Logo.jpg
TURISMO

Direção da Companhia Hidromineral de Piratuba vai recorrer de decisão que fechou o Parque Termal

Cristiano Mortari

O presidente da Companhia Hidromineral de Piratuba, Jair Gomes, relatou em entrevista à Rádio Aliança, na manhã desta segunda-feira, dia 27, que a empresa vai recorrer da decisão que suspendeu as atividades do Parque Termal do município. O complexo estava funcionando há 13 dias, depois de ficar fechado por quase quatro meses em função dos decretos relacionados à pandemia do coronavírus. Na última sexta-feira, dia 24, o Ministério Público solicitou a paralisação da empresa, através de uma liminar. Já no sábado os turistas não puderam mais usufruir da estrutura.

A promotora da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Capinzal, Karla Bardio Meirelles, sustentou na ação, que o decreto do Município de Piratuba que autorizou o funcionamento do Parque Termal, contraria o disposto em decreto estadual, que prevê medidas preventivas na região do Alto Uruguai, da qual Piratuba faz parte. A ação com o pedido liminar relata que o quadro da pandemia na região é grave e, mesmo assim, no primeiro fim de semana de funcionamento, mais de 250 pessoas estiveram no Parque e vários flagrantes de afronta à imposição de uso de máscara em locais públicos e ao distanciamento social, foram registrados.

Jair Gomes destacou na entrevista que tem dados que mostram que não houve aglomeração e que a Companhia Hidromineral vai recorrer da decisão. "Fomos surpreendidos na sexta-feira com essa determinação Judicial e acatamos imediatamente. Já no sábado fechamos e permanecemos sem atividades até o momento. A principal argumentação da promotora é a aglomeração e a falta de uma regulamentação específica para parques termais. Já estamos movimentando a assessoria jurídica da Prefeitura e da Companhia e vamos recorrer sim, vamos tentar reverter esta situação e reabrir o parque", adiantou ele. "Temos os números de banhos vendidos nestes dias em que trabalhamos. Foram 426 ingressos em 10 dias e isso representa pouco mais de 40 pessoas por dia. Também precisamos considerar que nem todos os banhistas foram na mesma hora, então não houve aglomeração", registrou Gomes.

O presidente da Companhia Hidromineral também argumentou que o Parque Termal de Piratuba se encaixa em uma categoria igual a de outros empreendimentos que estão funcionando neste momento. "Se a gente considerar nosso CNPJ, nos encaixamos como parque temático. Não quero aqui dizer o que deve ou não fechar, mas se o Beto Carrero está aberto, em uma região bem mais crítica que a nossa, em relação aos casos de coronavírus, por que o nosso e outros parques termais não podem funcionar?", questionou Jair "Mesmo no fim de semana que gera mais movimento, não há aglomeração. Temos capacidade para comportar mais de 2.500 pessoas, mas estamos trabalhando com 30% desta capacidade", destacou. "Estamos tentando uma audiência com o governador do Estado e com deputados para expor nossos argumentos e a necessidade de manter nosso complexo aberto", adiantou Jair.

Gomes registrou ainda que antes da reabrir, no dia 11 de junho, a Companhia Hidromineral tomou todas as medidas de prevenção à Covid-19. "Criamos um protocolo com a Vigilância Sanitária, Secretaria de Saúde, Polícia Militar. Vistorias foram feitas, mantemos sempre o distanciamento, disponibilizamos álcool em gel em todos os pontos possíveis, instalamos placas de orientação, compramos os medidores de temperatura corporal e até contrariamos nosso público dessa época, que é o idoso, com orientações que pedem que eles não venham ao Parque Termal", ressaltou.


Rua Paraná, 16 - Balneário - Piratuba - Santa Catarina

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados | Empresa Jornal Comunidade Ltda ME